ECON_CI4_FB3 ECON_CI4Aut_600x600_judice1

Cursos:
(I.04) Cursos Ícone IV (Outubro a Dezembro de 2015).

Bio:
Nuno Júdice é considerado um dos mais importantes poetas portugueses contemporâneos. Poeta, ensaísta e professor universitário, nasceu em 1949, em Mexilhoeira Grande. Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, tendo-se doutorado em Literatura Românica Comparada, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa. Escreve regularmente em publicações como o Expresso ou o JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias. O seu primeiro livro de poesia foi “A Noção do Poema” (1972). Na sua obra poética destacam-se, ainda, títulos como “A Partilha dos Mitos” (1982), “A Condescendência do Ser” (1988), “Enumeração de Sombras” (1989), “Um Canto na Espessura do Tempo” (1992), “Meditação Sobre Ruínas” (1994) ou “O Fruto da Gramática” (2014). Escreveu os romances “Plâncton” (1981), “A Manta Religiosa” (1982) ou “O Complexo de Sagitário” (2011), entre muitos outros. Tem obras traduzidas em Espanha, Itália, Venezuela, Inglaterra e França. É actualmente Director da Revista Colóquio-Letras da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1992, foi feito Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada e, em 2013, foi elevado a Grande-Oficial da mesma ordem. Venceu inúmeros prémios literários, destacando-se o Prémio de Poesia Pablo Neruda (1975), o Prémio do PEN Club (1985), Prémio D. Dinis da Fundação Mateus (1990), o Prémio da Associação Portuguesa de Escritores (1994), Prémio Literário Eça de Queiroz da cidade de Lisboa (1995), o Prémio Bordalo da Casa da Imprensa (1999), o Prémio Review 2000 da Associação Internacional de Criticos Literarios (2000), o Prémio Fernando Namora (2004) ou, mais recentemente, o Prémio Ibero-Americano Rainha Sofia de Espanha (2013).